quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Dever Cívico - SEM ILUSÕES

CAROS  AMIGOS




Tem me preocupado muito a propaganda eleitoral da Dilma Roussef pregando 
a união entre Governo Federal, Estadual e Municipal como 

a forma de integração ideal para que o povo não seja punido 


pelas diferenças partidárias. Isso é uma ameaça à democracia. Uma chantagem.
Ora, a democracia pressupõe que os partidos quando cheguem ao
poder trabalhem em benefício da população, preservando as diferenças
e dialogando normal e civilizadamente.
Propagar que o ideal é que todos estejam na mesma sintonia partidária,
sem contradições, é o mesmo que injetar de modo subliminar a perspectiva
"harmônica" do partido único. Este seria a solução para todos trabalharem
juntos em "total harmonia". Isso é totalitarismo, logo, desarmônico.
Fora isso, a democracia direta, ou o centralismo democrático -"nós somos a opinião pública" - 
dispensaria as mediações das instituições autônomas: ditadura do proletariado.

A unificação de partidos, Estado, Governo, instituições públicas, Poderes, etc, não deixa 
nenhuma dúvida: é o Estado Total. Este só é alcançado mediante processo dissimulado, 
cujas aparências são vendidas à população como vantagem, que gradativamente cede 
a sua soberania cidadã pela constante persuasão a que é submetida.

Peço que reflitam comigo sobre isso. 
Abraços fraternos
Moderno

Prof. Dr. João Ricardo Moderno
Presidente
Academia Brasileira de Filosofia
Rua Riachuelo 303 - Casa de Osório
Centro - Rio de Janeiro - CEP: 20230-011
Tels.: (21) 2252-8593 // 2252-8551

www.filosofia.org.br
Utilidade Pública Federal, Estadual e Municipal
CNPJ: 35.789.353/0001-05

Inscrição Estadual: Isento
Inscrição Municipal: 313.276-5


www.emiliamoss.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário